Não são as respostas que movem o mundo, são as perguntas!

Até hoje não se tem certeza… De onde viemos?
Os filósofos ainda querem entender … Quem somos?
E existem umas 200 teorias…Para onde vamos?
Os economistas querem explicar…como será a economia nos próximos anos?
E os cientistas …como o cérebro funciona?

As perguntas têm um valor incomparável como ferramenta de coaching, liderança e desenvolvimento de pessoas, mas não qualquer pergunta. A pergunta deve permitir formas inovadoras de pensamentos e novas possibilidades. Podemos esperar muito mais de uma pergunta do que uma simples resposta.
Se estiver a elaborar perguntas fracas, estará perdendo a possibilidade de tirar o maior potencial de cada situação.

A qualidade das respostas que obtém, está directamente ligada à qualidade das perguntas que faz.

Está a fazer as perguntas certas?

PERGUNTAS ABERTAS E PERGUNTAS FECHADAS

Existem basicamente dois tipos de perguntas: as perguntas fechadas e as perguntas abertas.

As perguntas fechadas pedem “sim” ou “não” como respostas, ou ainda um número ou uma data.

Por exemplo:

→ Realizou a sua tarefa?
→ Quanto é que esteve de férias?
→ Já definiu os seus objectivos para este ano?
→ Há quanto tempo esta neste emprego?

As perguntas abertas pedem respostas mais abrangentes e com mais conteúdo, e fornecem mais informações. Trazem consigo espaço para várias possibilidades de respostas, podem estimular o raciocínio e a criatividade.

Por exemplo:

→ O que descobriu enquanto realizava a sua tarefa?
→ Fale a respeito das suas últimas férias?
→ Pode descrever os seus objectivos para este ano?
→ Como foi que resolveu se dedicar a esta área de trabalho?

Dentro destes dois tipos de perguntas ainda encontraremos as perguntas fracas e as perguntas poderosas.

PERGUNTAS PODEROSAS

• São orientadas para o futuro
• Levam à acção
• São mais orientadas em relação ao objectivo do que ao problema
• Perguntam “o que” mais do que “por quê”
• Contêm suposições positivas e úteis sobre a pessoa envolvida e a situação

Observe abaixo alguns exemplos de perguntas fracas e compare com as sugestões/alternativas mais poderosas:

(fraca) Porque fez isso?
(poderosa) O que deve ser feito a partir de agora?

(fraca) Onde acha que errou?
(poderosa) O que descobriu que deve ser diferente?

(fraca) Quem foi o culpado?
(poderosa) Quem mais pode ajudar?

(fraca) Porque tem que ser assim?
(poderosa) O que poderá ser ajustado?

(fraca) Qual é o problema?
(poderosa) O que queremos alcançar exactamente?

Ao usar perguntas poderosas, conseguirá muito mais do que uma simples resposta.
Poderá surgir um conhecimento novo, uma nova possibilidade de acção, uma solução potencial ou uma perspectiva nova sobre um aspecto crítico, uma nova aptidão ou descoberta de um novo talento, uma motivação nova ou renovada para continuar na jornada até a meta; uma nova confiança ou acréscimo de autoconfiança para alcançar a meta.

Use perguntas poderosas para descobrir novas possíveis acções a fim de conseguir direccionar o processo de pensamento para os resultados pretendidos:

– O que quer exactamente?
– Até onde já chegou?
– Quanto aprendeu?
– O vai fazer diferente da próxima vez?
– O que está a fazer certo, agora?
– O que precisa da sua atenção agora?
– Como pode se divertir enquanto faz isto?
– O que o diverte mais?
– O que pode fazer para aumentar a sua vitalidade e saúde?
– Que coisas novas pode se permitir fazer hoje?
– Quais são as suas expectativas aqui?
– O que tem que acontecer para sentir que tem sucesso?
– Que hábitos estão a impedir?
– O que o está a impedir de entrar em acção?
– Quais são os seus maiores recursos nesta situação?
– O que fará a maior diferença nesta situação?
– O que o faz feliz numa situação como esta?
– Onde está a ser duro demais consigo mesmo?
– Onde ainda não se sente realizado?
– Em que tipo de pessoa está a se tornar?
– O que o motiva mais?
– O que espera conseguir fazendo isto?
– Que outras escolhas tem?
– O que pode fazer que iria fazer uma diferença?
– Que pergunta ainda não fez?
– O que de pior pode acontecer se fizer isto?
– O que de melhor pode acontecer se fizer isto?
– Do que está disposto a desistir para ter isto?
– Com o que está comprometido?
– Quem poderia ajudar nesta situação?

Quando começará a colocar este conceito em prática??? 😉

Veja os vídeos aqui (parte 1) e aqui (parte 2).

Sucesso,
Cris